“Não passa nada”

O seleccionador nacional recusou a existência de um ‘braço de ferro’ com o Real Madrid e que não se pode estar a antecipar cenários sobre a disponibilidade de Ronaldo.

“Não compreendo o nervosismo de alguns sectores. Será tomada a decisão que é inegociável, incontornável, uma decisão que protege os interesses do jogador. Logo, estão defendidos os interesses de todas as partes. Sempre foi assim. Não existem braços de ferro nem caprichos ou egos, antes sentido profissional – chamamos quem pensamos que deve dar o seu contributo. Se não puder, os profissionais tomam uma decisão”, frisou Carlos Queiroz, em conferência de imprensa realizada na concentração em Óbidos.
“Há uma convocatória, uma avaliação médica e uma decisão. Estar a antecipar coisas não tem sentido nenhum”, reiterou o técnico, que esvaziou a polémica dos últimos dias numa resposta em castelhano à televisão espanhola: “No pasa nada”.
O treinador português negou ainda qualquer ressentimento com o Real Madrid, como a imprensa espanhola denunciou nos últimos dias, manifestando a sua “honra” por ter trabalhado nos merengues. “Fui treinador do Real Madrid. É um grande clube, que me merece todo o respeito, conheço o seu departamento médico, o director geral e o presidente. Tenho todo o respeito por eles e honra por ter estado no Real Madrid”, disse.
Sobre o jogo do play-off, o seleccionador nacional apelou à concentração de todos no jogo com a Bósnia: “Tivemos uma etapa de responsabilidade, assumimos os erros da qualificação. Agora construímos esta oportunidade de estar no play-off. E estamos na terceira etapa, que é a Bósnia. Vamo-nos concentrar no jogo com a Bósnia, unidos nesse objectivo e pôr um ponto final nesta novela.”
Carlos Queiroz lembrou ainda que a eliminatória não se vai resolver apenas com o jogo no estádio da Luz: “Nós temos um jogo com duas partes e ninguém ganha um jogo no primeiro minuto. como ninguém ganha os jogos ao intervalo. Essa ideia de que a eliminatória tem de acabar no estádio da Luz não me parece uma ideia correcta. Nos dois jogos temos que jogar bem, isto é, defender bem, atacar bem e fazer golos”.
Para o seu adversário, o técnico nacional só tem elogios: “Vamos jogar contra uma equipa com excelentes jogadores, que sabem construir boas jogadas e fazer golos. Também defendem bem quando têm de defender. É uma equipa bem organizada que nos vai levar a jogar no limite das nossas capacidades”.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: